História

 

   

    Em meados de 1988, em suas primeiras reuniões lideradas pelo Sr. Adelino de Souza Borges, os trabalhadores da Montagem Industrial, tiveram como sede uma sala emprestada na base do Sindipetro. Um período depois alugaram outra sala que ficava no bairro do Pinheiro. Neste tempo ainda não havia negociações de convenção coletiva de trabalho, por não haver um registro legal da mobilização da categoria, assim alguns acordos coletivos eram fechados diretamente com as empresas. Isso já era uma grande vitória, se comparado com a situação anterior.

 

    No dia 31 de Janeiro de 1991, O Sindimont (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Montagem, Manutenção e Prestação de Serviços nas Áreas Industriais do Estado do Paraná) teve seu registro efetivado junto ao Ministério do Trabalho e Emprego, tendo filiação com a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e seu Presidente o Sr Adelino de Souza Borges. A partir daí começaram as negociações diretamente com o Sindicato Patronal.

 

    Em 1992 o Sindimont fechou a primeira Convenção Coletiva de Trabalho da categoria da montagem e manutenção. Contudo, a arrecadação que se obtinha através de contribuições dos trabalhadores, não era o suficiente para que o Sindimont pudesse ter uma sede.

 

                                

 

   

    De 1992 a 1995, as negociações eram feitas entre os sindicatos dos trabalhadores e sindicato patronal. Somente em 1996, essas começaram a ser feitas com a supervisão da Fetraconspar, Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário. Esta união entre Sindimont e Fetraconspar, foi muito importante para o crescimento da categoria, pois fortaleceu a entidade tanto em mesas de negociação, quanto em cursos de atualização trabalhista aos diretores e funcionários. Também em representação em congressos e palestras voltadas ao interesse dos trabalhadores da nossa base.

 

    Isso fez com que a entidade começasse a ter mais credibilidade e mais atuação na sua base de trabalho, porém as condições financeiras da entidade ainda eram desfavoráveis, e não havia mais a possibilidade de pagar aluguel, isso fez o então Diretor Antonio Lemos do Prado, ceder uma sala comercial de sua casa, gratuitamente à entidade, assim mudando a sede do Pinheiro para Araucária, no bairro Industrial.

 

    No Ano de 2001, com o aumento da arrecadação, a Diretoria então decidiu comprar um terreno na Rua Dr. Vital Brasil, porém o capital que o Sindicato dispunha na ocasião dava somente para a compra do lote e não dava para começar uma construção. Com isso a sede continuou no seu endereço anterior.

 

    Somente em Abril de 2008 o Sindimont se instalou neste endereço, em sede provisória, nos fundos do terreno. De lá para cá e com muita economia e um trabalho exemplar da atual gestão nas questões orçamentárias, é que se deu início às obras da construção da nova sede que teve sua inauguração em 25 de abril de 2009.

 

    Em 2010, o sindicato entregou mais um grande presente aos trabalhadores. A sede campestre, uma ampla chácara na região do Formigueiro para o lazer dos associados e seus familiares.

                                 

   

    No ano de 2012 mais uma conquista. A colônia de férias, localizada no balneário Praia Grande em Matinhos, possui 6 sobrados mobiliados para os associados e seus familiares desfrutarem bons momentos de descanso e lazer.

                               

                                

 

    Em 2013, o sindicato adquiriu a sede de eventos, localizada no Campina das Pedras área rural de Araucária. Com uma ampla estrutura para realização de eventos, conta também com campos de futebol para aquele momento de descontração com os amigos.

 

                               

     

E não para por ai. Em 2016 trabalhamos para ampliação e melhorias em nossas sedes:

 

 

 

 

Tudo isso adquirido com verbas da contribuição sindical.

 

 

Mas, os avanços não param por aí. A diretoria trabalha diariamente para garantir ainda novas conquistas para a classe.

 

 

Sindimont, uma história de luta e conquistas em prol dos direitos do trabalhador.